Fale conosco pelo WhatsApp

Cirurgia de Quadril

Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Principal objetivo do procedimento é preservar a movimentação da articulação, retirar a dor e garantir qualidade de vida ao paciente 

O quadril é a articulação (junta) que liga o osso da coxa (fêmur) ao osso da bacia (pélvis), permitindo os movimentos dos membros inferiores. No quadril identificado como normal a cabeça do fêmur e a pélvis são cobertas por uma cartilagem macia que permite o fácil deslizamento da cabeça do fêmur dentro da cavidade. Uma articulação identificada como normal deve: possibilitar os movimentos do quadril em várias direções, ser estável e indolor.

Porém, há casos em que ocorre o desgaste dessa articulação e o único tratamento eficaz e definitivo é a artroplastia, ou cirurgia de quadril. Várias situações colaboram para o envelhecimento dessa articulação, sendo que os principais fatores que podem levar a esse desgaste são:

– Artrose: é o desgaste propriamente dito da articulação do quadril. É a principal causa para a realização da cirurgia de quadril;
– Fratura de fêmur;
– Osteonecrose da cabeça femoral;
– Artrite reumatoide;
– Displasia de quadril: a doença é causada por alterações anatômicas do quadril. Isso gera um desequilíbrio de forças na região e a um desgaste precoce das articulações.

A cirurgia de quadril deve ser realizada nos seguintes casos:

  • Dificuldade para subir e descer escadas;
  • Dificuldade para se vestir e amarrar o sapato;
  • Limitação para agachamento;
  • Dificuldade para se levantar de cadeiras baixas ou do vaso sanitário;
  • Dor para cruzar as pernas;
  • Restrição de atividades esportivas e até mesmo caminhadas;
  • Marcha “manca” ou marcha claudicante;
  • Dor noturna e dificuldade para dormir;
  • Não houve melhora com remédios, repouso e/ou fisioterapia.

Como é feita a cirurgia de quadril

Com a evolução dos materiais e técnicas cirúrgicas, a cirurgia de quadril tem ficado cada vez menos agressiva para o paciente e a reabilitação é cada vez mais rápida.

Trata-se de um procedimento que remove a articulação doente e coloca em seu lugar uma articulação artificial. Mas, apesar de ser um procedimento amplamente realizado no mundo todo, o paciente precisa ser examinado, diagnosticado de forma efetiva e ter se submetido a outros tratamentos não cirúrgicos para avaliar se a cirurgia de quadril é a melhor solução.

A cirurgia de quadril é feita sob anestesia (bloqueio regional ou anestesia geral) em centro cirúrgico. O médico-cirurgião faz um corte na parte da frente da coxa, na parte posterior ou na lateral da coxa, dependendo da sua escolha, e retira as partes desgastadas, substituindo-as pela prótese.

Existem dois tipos de prótese de quadril: a total e a parcial. Na artroplastia total do quadril, tanto a cabeça do fêmur quanto a região da bacia, chamada de acetábulo, são substituídos por implantes metálicos que podem ser ligados ao osso por uma camada de cimento ósseo (prótese cimentada) ou não (prótese não cimentada).

Na artroplastia parcial do quadril apenas a cabeça do fêmur é substituída por implantes. O acetábulo do paciente não é substituído. O componente femoral também pode ser ligado ao osso por uma camada de cimento ósseo (prótese cimentada) ou não (prótese não cimentada).

Em seguida, o médico fecha as partes moles e a pele ao redor do quadril com pontos.  A superfície de contato fará às vezes de articulação, permitindo a movimentação ampla da prótese.

O procedimento demora, aproximadamente, duas horas e meia, mas a cirurgia de quadril pode ser mais longa, dependendo das condições do paciente. Já o tempo de internação pode variar de três a cinco dias.

Não há idade para fazer a cirurgia de quadril. Tanto pacientes jovens como idosos podem se submeter ao procedimento, desde que ele seja feito com a indicação correta.

Cuidados no pré-operatório da cirurgia de quadril

Antes de agendar a cirurgia de quadril, o cirurgião escolhe o tamanho e o material da prótese, além de solicitar exames para avaliar a saúde geral do paciente, sendo os mais comuns: exames de sangue, radiografia de tórax, eletrocardiograma e amostras de urina).

Cuidados após a colocação da prótese de quadril

O período de recuperação da cirurgia de quadril dura cerca de seis meses. Durante esse período o paciente deve ter alguns cuidados, como:

  • Deitar-se de barriga para cima com as pernas abertas. Pode ser útil colocar um travesseiro entre as pernas;
  • Dirigir só está permitido depois de seis a oito semanas da cirurgia de quadril;
  • Não cruzar as pernas para evitar deslocar a prótese;
  • Evitar girar a perna operada para dentro ou para fora e/ou sobre ela mesma;
  • Não se sentar em locais muito baixos: colocar sempre assentos para elevar o vaso sanitário e as cadeiras;
  • Evitar deitar-se de lado sobre a perna operada, no primeiro mês após a cirurgia;
  • Ao subir degraus, primeiro deve-se colocar a perna não operada e depois a operada. Para descer, primeiro vai a perna operada e depois a não operada;
  • Praticar atividades leves, como caminhada nas primeiras semanas. Demais atividades só devem ser realizadas dois meses após a cirurgia de quadril e sob orientação do médico ou fisioterapeuta.

Em geral, o paciente deve retornar para a consulta de revisão sete a dez dias após a cirurgia de quadril para retirar os pontos e para que o cirurgião avalie se não houve desencaixe da prótese ou infecção.

É indicado que sejam realizadas sessões de fisioterapia no primeiro dia após a cirurgia de quadril. O ideal é que ela seja realizada por três a seis meses, até que o movimento normal ou o mais próximo do esperado do quadril seja restaurado.

Nesse processo, são avaliadas a força e a amplitude dos movimentos, bem como a redução da dor. A fisioterapia também ajuda a prevenir complicações como deslocamento da prótese e formação de coágulos. Os exercícios recomendados para reabilitação incluem:

  • Alongamentos;
  • Exercícios ativos para fortalecimento;
  • Propriocepção (conjunto de exercícios que visam manter um equilíbrio perfeito quando a pessoa fica em pé, em movimento ou se exercitando);
  • Treino de marcha em terrenos planos e em rampas e escadas;
  • Hidroterapia.

Benefícios da cirurgia de quadril

Após a reabilitação da cirurgia de quadril o paciente costuma relatar:

  • Melhora significativa dos níveis de dor;
  • Diminuição do uso de analgésicos;
  • Melhora da qualidade e distância da marcha;
  • Melhora da agilidade e de todas as atividades de vida diária.

Normalmente, a prótese de quadril dura de 20 a 25 anos, havendo necessidade de substituição após esse período. No entanto, o tempo de duração da prótese varia conforme o tipo e modelo de prótese utilizada, o posicionamento da prótese feito pelo cirurgião e o uso da prótese pelo paciente. Os pacientes podem aumentar a vida útil da prótese evitando quedas e atividades de alto impacto e fazendo atividades de condicionamento e fortalecimento muscular

Um dos aspectos mais importantes para que a cirurgia de quadril seja bem-sucedida e devolva qualidade de vida ao paciente é a experiência do cirurgião. É muito importante que o procedimento seja feito por um especialista em quadril, pois existem muitas técnicas e tipos diferentes de prótese. O Dr. Rafael Azzem, ortopedista, realiza a cirurgia de quadril com total segurança. Agende sua consulta.

 

Fontes:

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Dr. Rafael Azzem Ortopedista e Traumatologista

Veja Saúde